quinta-feira, 28 de maio de 2009

Viagem Encantada

 


Olhe nos meus olhos e me diga uma palavra,
Dela tirarei sua verdade.
Me dê a mão e comigo faça um pedido.
Os acontecimentos seguintes serão fatos puros,
E reais...
No dia em que me viu, seu sorriso refletiu o universo,
Em um mar de sentimentos que afoga os amantes,
Dos seus passos marcados sobraram flores no caminho.

 

Se sentir medo, não se preocupe com a dor de sua voz,
Pois ao meu lado brevemente dormirá em paz na luz,
Venha comigo plantas cinzas de tristezas,
O que me disser será seu,
E meu...
Procurando no destino incerto as certezas incorretas,
Encontrará nos seus erros os acertos que precisa,
E te direi o quão correta foi sua atitude pecadora.

 

Uma viagem encantada de florestas flutuantes,
Viajando sem rumo em direção ao sentimento presente,
Tocando levemente as rosas que perfumam o ar,
Aparentemente esqueceu que tudo é livre,
E elegante...
Sabendo que das névoas sua sombra não se reergue,
Apareça reluzente de seus passados sombrios,
Para juntos findarmos esse obscuro vazio.

 

O mal que me contou, do qual fugiu desesperada,
Já não encontrará portas vagas em sua andança ausente,
Embora ao meu lado sinta o frio que o hálito esconde,
Nunca mais verá os danos,
E sofrimentos...
Levando-nos à casa represada entre corações temerosos,
Um beijo de despedida dará quando sentir a chegada,
Assim fechando os olhos para o sonho que te procura.

 

 

                                                                                                  Victor Augusto

Um comentário:

  1. simplesmente perfeito... vc escreve muito bem...

    ResponderExcluir